• Fernando Ramos

Carnívoros pelo mundo - Charlene Andersen


História de Charlene Andersen. Autora do site meatheals.com.



Eu nasci em 22 de março de 1973 filha de um engenheiro e um fisioterapeuta. O pai da minha mãe era um médico com especialização em obstetria e ginecologia. Ele era um carabom, mas seguiu a norma da manipulação. Ele sugeriu a dieta saudável de "cereais e leite com baixo teor de gordura" para fazer um lanche entre as refeições. Minha mãe seguia tudo à riscaenquanto estava grávida de mim, e ganhava a quantidade certa de peso, comendo seus “bons alimentos”.


Eu nasci rapidamente sem complicações. As coisas foram como costumam acontecer nos partos hospitalares. Ela cuidou de mim, com a intenção de me afastar completamente do leite materno lá pelos 3 meses de vida para que ela e meu pai pudessem ir para Flórida e pudessem me deixar com meus avós. Reagi a todas as fórmulas e todos os alimentos que me deram. Eu acho que eles terminaram com a combinação que foi menos reativa para mim.


Enquanto isso, minha saúde continuava se deteriorando. Com 8 anos desenvolvi tricotilomania (compulsão de arrancar os próprios cabelos). Feridas nas minhas pálpebras e sobrancelhas me faziam querer esfregar/puxar os cílios. Eu tive momentos em que não tinha cílios ou sobrancelhas. Meus pais viram como um mau hábito e que eu não era "forte o suficiente" para superar. Isso perdurou durante a escola primária, ensino médio, faculdade e meus primeiros dois anos de trabalho.


Sempre que eu ia para as casas dos meus amigos (todos tinham animais de estimação), não demorava muito para os meus pais receberem uma ligação para vir me buscar porque eu estava ofegando ou desenvolvendo urticárias.


Assim que comecei a amadurecer, por volta dos 13 anos, a acne que desenvolvi era cística e extremamente feia e dolorosa. Elas se pareceriam com crateras. Eu os tinha em todo o meu rosto, pescoço, dentro dos meus ouvidos, ombros, costas, peito e braços. Entre dificilmente ter cílios / sobrancelhas e ter essa acne, eu era muito autoconsciente. Eu não era obesa quando criança, mas sempre era mais pesada que a norma e carregava meu peso de uma maneira estranha em meus quadris e bumbum. Eu me lembro de ter celulite aos 12 anos.


Aos 16 anos minha mentruação diminuiu até parar completamente. Nenhum dos médicos ginecologistas tinham uma resposta. Minha dieta era o típico baixo teor de gordura, carboidratos complexos, muitos vegetais e baixo teor de açúcar. Então, obviamente minha dieta não estava causando isso.


Os dias de faculdade eram divertidos (tempo longe dos meus pais), mas continuaram minha espiral descendente de saúde. A fadiga extrema realmente se instalou nesse período. Comecei a fazer duas faculdades ao mesmo tempo, de Matemática (para agradar meu pai) e artes (para me agradar). Minha mãe não se importou, desde que minhas notas fossem o mais perfeitas possíveis. O que me impediu de me formar com sucesso em Matemática é que não conseguia ficar acordada em sala de aula. Eu adormecia depois de alguns minutos de aula e só acordava quando acabava. Eu precisava de sonecas ao longo do dia e sempre seria a primeira a dormir na república em que morava. Eu empurrei os amigos para longe cada vez mais devido ao meu cansaço e a depressão que se manifestou nessa época.


Comecei a trabalhar na esperança de que isso me fizesse sentir melhor comigo mesmo (e com meu físico fraco), mas isso me deixou mais cansada e com raiva. Eu não desisti de trabalhar até anos depois.


Depois de me formar na faculdade, consegui um emprego no Departamento de Design Industrial da Navistar, que era um sonho como artes, amando design automotivo e trabalhando na mesma empresa que meu pai, primo e tios.


A queda mais dramática na minha saúde aconteceu em seguida. O estresse de trabalhar e estar em torno de modelagem de argila, pintura de pulverização e todos os tipos de produtos químicos me fez adoecer rapidamente. Honestamente, este momento da minha vida ainda é um borrão para mim.


Meu salva-vidas foi Joe. Maravilhoso, talentoso, engraçado, interessante, 100% compatível comigo, Joe! ❤ É quase como se eu estivesse esperando para conhecê-lo antes que minha vida, que estava descendo rapidamente, melhorasse. Mas ia piorar antes de melhorar.


Minha lista de problemas de saúde cresceu: eczema em minhas mãos (até o ponto de queimaduras de segundo grau), zumbido, piora da depressão, piora da fadiga (adormecia no trabalho o tempo todo, em reuniões, na igreja e dirigindo um carro), lombalgia / dor no nervo pélvico e ciático (não conseguia sentar, trabalhava de pé, dor constante com espasmos ocasionais de dor, a ressonância magnética revelou doença discal degenerativa em 3 áreas), edema sistêmico, visão embaçada (óculos eram usados ​​a partir de colegial, piorando a cada ano), paralisia às vezes em mãos e pés (Joe teve que ser chamado para me levar para fora do trabalho várias vezes), alergias / sensibilidades a todas as coisas (comida, pólen, produtos químicos) , amenorréia contínua, ganho de peso (quando atingi meu máximo estava mais de 25 quilos acima do peso), incapacidade de concentração (não conseguia entender uma frase falada comigo a tempo de ouvir o próximo em uma conversa), diagnosticada com displasia cervical (tratada com crioterapia), enxaqueca , dores no coração, refluxo, comia compulsivamente (e no final, vomitava - felizmente apenas algumas vezes), espasmos musculares (mais de 100 espasmos em 1 minuto), nódulos nos meus seios, eu estava com muito medo de fazer check-out, e um por último, mas mais difícil para todos ao meu redor foi a minha irritação e raiva (uma reversão completa da minha natureza descontraída e doce que todos conheciam).


Eu literalmente poderia continuar o relato de problemas, mas eu não quero perder mais tempo nem sofrer mais por ter de relembrar.


Eu fiz a rota do médico convencional, com absolutamente nenhum sucesso. Cada um me fez mais doente, mais fraca e com mais sintomas. A maioria concluiu que estava tudo na minha cabeça e eu estava louca!


Joe estava sempre interessado em musculação e no Vince Gironda (fisiculturista profissional norte-americano, personal trainer, autor e dono da Vince's Gym, frequentada por celebridades. Seu apelido era o "guru de ferro"). Sua maneira de comer para ser tão forte quanto possível intrigou Joe. Assim que ele começou a pesquisar obre isso e sobre dietas similares (muitos autores estavam investigando a abordagem de uma dieta baixa / livre de carboidratos há muito tempo atrás), ele começou a comer low carb/high fat. Instantaneamente apelou para mim e eu tentei experimentar alimentos e receitas com pouco carboidrato (eu adorava cozinhar). Não foi uma vitória imediata para mim, mas certas coisas começaram imediatamente a mudar (alergias e asma, em especial, assim que removi os grãos). Eu também comecei a conhecer quais eram os alimentos com baixo teor de carboidratos (especialmente vegetais), o que me levavam a episódios de fadiga terríveis.


Quando Joe e eu nos casamos em 8 de agosto de 1998 (isso faz parte do meu amor pelo número 8), foi um dos melhores dias da minha vida (além dos dias de em que dei à luz meus dois filhos). Mas não foi de todo perfeito. Eu me senti mal apesar da adrenalina. Nós fomos os primeiros a deixar a nossa própria festa, não porque não pudemos esperar para ficar juntos, mas porque eu estava tão acabada com a coisa toda.


Logo depois, eu fui diagnosticada com a doença de Lyme (infecção bacteriana transmitida por carrapatos) por um médico alternativo e pelo menos isso nos deu algo para focar e ser capaz de olhar o que estava por trás de alguns dos meus problemas. Eu decidi largar meu trabalho para me concentrar em melhorar e reduzir meu nível de estresse (eu estava trabalhando, tendo aulas de MBA, terminando minhas licenças de PT e nutricionista).


Mais pesquisas rapidamente nos levaram de passar da low carb para praticamente nenhum carboidrato. Nós experimentamos tanto em tão pouco tempo que percebemos que seria melhor começarmos os diários de tudo o que comemos, como nos sentíamos, o que funcionava e o que não. Tudo o que queríamos era consistência.


A dieta de peixe e óleo foi a primeira tentativa de uma dieta de zero carboidratos que me lembro. Aliviava muitos dos meus sintomas, mas nem todos (ainda tinha amenorréia, edema, tricotilomania, acne, eczema e excesso de peso). Nós provavelmente passamos cerca de um ano experimentando, começando com a dieta de peixe e óleo, mudando rapidamente para ovos e aves de criação ao ar livre, e ocasionalmente cordeiro e carne bovina.


Logo que eu mudei para gordura animal como minha fonte de gordura em vez de óleos "saudáveis", eu ovulei e tive uma menstruação de duas semanas. Eu não pude acreditar!!! Por que, no mundo, alguém não me disse anos atrás sobre a importância da gordura animal? Desde então meu ciclo menstrual tem sido mais regular do que quando era adolescente. Eu tive dois meninos saudáveis ​​(sem complicações para mim; parto em casa também;)! ❤😀


Nós experimentamos com carne de porco só para descobrir que isto ativou alguns sintomas.


Continuamos pesquisando e analisamos nossas vitórias e falhas. Isso nos levou a Blake Donaldson, que sugeriu uma dieta de bife e água para seus pacientes. Isso fez muito sentido para Joe e eu. Nós começamos com pemmican (mistura concentrada de gordura e proteína utilizada como comida nutritiva) só por algum tempo, introduzindo bife eventualmente. Com certeza, assim que eu decidi comer apenas carne bovina, todos os meus sintomas desapareceram!!! Eu não pude acreditar. Sempre que eu tentava compartilhar o meu sucesso e felicidade sobre isso, ele era recebido com olhares mais questionáveis, raiva, medo e olhos revirados do que você jamais imaginaria. Então, foi o nosso pequeno segredo. E foi assim que mantivemos até encontrarmos outros com o nosso ponto de vista.


Além disso, eu logo descobri que quanto mais eu comia carne apenas, o formato do meu rosto mudava e especialmente meu corpo. Eu fui da necessidade de malhar religiosamente e tenazmente quando comia mal a desistir do exercício completamente para não ficar muito musculosa ou com aparência masculina.


Mesmo quando os outros divulgaram nossa entrevista alguns anos atrás, ela foi recebida (por alguns) com tanta raiva, que a desistimos. Ela tinha sido programada para ser exibida na revista National Examiner. Rapaz, isso teria sido um desastre em muitos aspectos.



Hoje em dia comemos apenas Ribeye steak, já que é o mais gordo. E nós bebemos água mineral. Isso é o que fazemos. Nós não pensamos nisso. Nós nem sequer falamos sobre isso. Para nós, é como falar sobre porque o céu é azul. Sim, há um raciocínio científico por trás disso. É bom entender, mas a beleza de tudo é apenas apreciar!


Há vida depois da doença !! Que eu saiba!!



1,949 visualizações

Dieta Carnívora Brasil no Instagram